Notícias

Trecho da BR-050 em Uberaba continua interditado após carreta de etanol tombar


Concessionária que administra rodovia atua com sistema de pare e siga, à espera de guindaste para levantar o caminhão e poder liberar a pista. Carreta tomba e derruba etanol na BR-050, em Uberaba Foto: PRF Uberlândia/Divulgação Continua parcialmente interditada o km 162 da BR-050, e Uberaba, após uma carreta carregada com etanol tombar, na madrugada desta quarta-feira (2). Parte da carga foi derramada na pista. De acordo com a Eco-050, concessionária que administra a via, a carreta continua no local à espera de um guindaste. O tráfego em uma das pistas está interditado, com o trecho funcionando no sistema de siga e pare. Ainda não há previsão para liberar a pista, segundo a concessionária. O caminhão tombou no acostamento no momento em que acessava a balança de pesagem. O motorista, um homem de 56 anos, não sofreu lesões, de acordo com avaliação da equipe médica da Eco050. Mesmo assim, ele foi encaminhado ao Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (HC-UFTM).

Proposta que trata sobre a procuradoria-geral na Lei Orgânica é aprovada na Câmara de Arcos

Em primeiro turno, a proposta de emenda foi aprovada com 12 votos favoráveis. Na sessão desta segunda-feira (30), foram 13 votos a favor da aprovação. Uma proposta de emenda da lei orgânica de Arcos, que trata sobre a procuradoria-geral do município, foi aprovada em 2º turno na Câmara. Em primeiro turno, a proposição foi aprovada com 12 votos favoráveis. Na sessão desta segunda-feira (30), foram 13 votos a favor da aprovação. O texto prevê que a procuradoria-geral é instituição permanente e essencial à justiça. A proposta determina ainda que a procuradoria é um órgão central do sistema jurídico do município diretamente vinculada ao prefeito. A procuradoria, segundo o projeto de lei, será regida por legislação própria que será de acordo com as disposições da Constituições Federal e do Estado. Os procuradores serão organizados em carreira própria e serão admitidos mediante concurso público de provas e títulos. A proposta, segundo o prefeito Denilson Teixeira, autor do projeto, é prever na Lei Orgânica, de forma expressa o caráter permanente da função.

Prefeito de Nova Lima testa positivo para coronavírus e é internado na Grande BH


Vitor Penido (DEM) tem 78 anos e está no hospital desde segunda-feira (30). Prefeito de Nova Lima, Vitor Penido Prefeitura de Nova Lima/Divulgação O prefeito de Nova Lima, Vitor Penido (DEM), testou positivo para coronavírus e está internado em um hospital particular na Grande BH. A informação foi divulgada pela assessoria do político na tarde desta quarta-feira (2). De acordo com o comunicado, ele está com sintomas da Covid-19 que variam entre leves e moderados. O quadro de saúde é considerado estável, sem febre, perda de olfato ou dificuldade para respirar. Vitor Penido tem 78 anos e, além de prefeito, é pecuarista, comerciante e empresário. A mulher dele, Iêda Magalhães, também apresenta um quadro estável, com sintomas da doença semelhantes aos do marido. A Prefeitura de Nova Lima informou que Vitor "está respondendo bem ao tratamento e, inclusive, vem despachando por telefone com seus assessores". Segundo o último boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES), divulgado nesta manhã, Minas Gerais confirmou 4,5 mil novos casos de Covid-19 nas últimas 24h. Até o momento, mais de 424 mil pessoas testaram positivo para a doença no estado, sendo 5 mil em Nova Lima. Vídeos: Todos contra a Covid-19

Coronavírus: 62 casos são confirmados em Divinópolis nas últimas 24h


Análise feita pelo G1 compara os dados do Boletim Diário desta terça (1º) e quarta (2); número de recuperados também cresceu. Em imagem de arquivo, teste rápido é feito para saber se a pessoa tem a Covid-19 Fernanda Pimentel/FVS-AM Nas últimas 24h, Divinópolis registrou 62 novos resultados positivos da Covid-19. Segundo o Boletim Diário desta quarta-feira (2), no mesmo período, outras 59 pessoas se recuperaram da doença. O informativo atualizado pela Prefeitura aponta ainda que mais de 160 exames aguardam resultados. Nesta segunda (30) e terça (1º), o Executivo divulgou informações sobre as vítimas da doença no município e também os bairros com mais notificações do novo coronavírus. * Veja abaixo mais dados sobre a evolução do coronavírus na cidade. Mortes pela doença - são 78 óbitos, 43 do sexo feminino, 35 do masculino. No informe desta quarta, um óbito está em investigação; não há mais informações sobre a vítima. Pacientes recuperados - desde que a Prefeitura começou a publicar o informe, 2.249 pessoas se recuperaram da Covid-19 na cidade; 59 a mais que no boletim anterior. Situação dos leitos O boletim municipal também conta com a quantidade de leitos exclusivos para atendimentos a pacientes com suspeita da Covid-19. Neste informe, dos 209 leitos disponíveis - 135 são no setor de enfermaria e 84 no Centro de Tratamento Intensiva (CTI). De todos estes, 82 estão ocupados. Duas crianças estão internadas em leitos de CTI e duas em leitos de enfermaria com suspeita da doença; não foram divulgadas mais informações sobre os pacientes. O informativo desta terça-feira (1º) apontou a diminuição de leitos disponibilizados para tratamento da Covid-19. Agora, são 66 leitos de CTI e 119 de enfermaria, anteriormente eram 74 e 135, respectivamente. A assessoria de comunicação da Prefeitura esclareceu que novas informações seriam repassadas nesta quarta-feira (2), mas não houve retorno até a última atualização da matéria. Ocupação de leitos exclusivos para pacientes com suspeita da Covid-19 Casos confirmados e descartados Nesta quarta-feira, Divinópolis contabiliza 2.605 casos confirmados de coronavírus, 62 resultados positivos a mais que o boletim de terça-feira (1º). Já a quantidade de exames suspeitos que foram descartados permanece em 1.063. Outras 166 pessoas aguardam os resultados de exames. Dos casos confirmados de Covid-19, 1.437 foram em pessoas do sexo feminino e 1.168 em pessoas do sexo masculino. Perfil de casos confirmados Casos em investigação Até o momento, a cidade tem 19.693 notificações de pessoas aguardando resultados de exames para saberem se têm o novo coronavírus. Destas, 10.594 são do sexo feminino e 9.099 do sexo masculino. A maior parte das notificações continua de pessoas com idade entre 20 e 39 anos: 9.867 registros. Faixa etária das notificações em Divinópolis Dados de atendimentos e hospitalizações em Divinópolis Prefeitura de Divinópolis/Divulgação Outros dados O Boletim da Prefeitura de Divinópolis divulga ainda informações sobre taxas de isolamento e letalidade, além do ritmo de contágio. Segundo Executivo, o Índice de Isolamento Social e o Ritmo de Contágio são divulgados pela plataforma “Corona Cidades”, desenvolvida pela ONG Impulso, Instituto Arapyau e Instituto de Estudos de Políticas de Saúde (IEPS), além da colaboração da empresa de tecnologia InLoco. O objetivo da plataforma é auxiliar o poder público na coleta de dados relacionados à pandemia do coronavírus no Brasil. *Os dados foram atualizados nesta quarta-feira (2). Veja mais detalhes abaixo. Taxa de isolamento social - O índice de Isolamento Social aponta o percentual de pessoas que se encontram em casa durante a pandemia do coronavírus. Os dados são coletados através da geolocalização de celulares e smartphones. A média percentual com dados da última semana, mostra que a taxa de isolamento social permanece em 33%. O número está bem abaixo do índice de isolamento recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que é de 70%, para evitar o contágio da Covid-19. Ritmo de contágio - Conforme dados consultados em um site do Executivo, o ritmo de contágio da doença na cidade está em 1,11. O dado leva em consideração a quantidade média de pessoas que cada contaminado pode infectar. Se o índice ficar entre 1,65 e 2, o risco é considerado muito alto e há indicação de lockdown se a taxa de reprodutibilidade da doença passar de 2. Esse índice é um dos fatores que estão na Matriz de Mapeamento de Risco à Covid-19, que orienta as decisões do Poder Público em relação às medidas de isolamento social na cidade. Segundo a Matriz, o número é considerado de alto risco. Taxa de letalidade - A taxa de letalidade em Divinópolis caiu para 2,99%. Este percentual considera o número de óbitos em relação ao total de casos confirmados. Initial plugin text

Coronavírus em 2 de dezembro: municípios do Leste e Nordeste de MG confirmam mortes e casos


Dados são contabilizados com base nos boletins divulgados pelos municípios. Confira as últimas notícias sobre o coronavírus na região Hellen Souza/ Arte-G1 A Veja os dados sobre o coronavírus nas principais municípios do Leste e Nordeste de Minas Gerais, na área de cobertura do G1 Vales de Minas Gerais, nesta quarta-feira (2). O levantamento é feito junto às secretarias municipais de Saúde. Os casos nos outros municípios da região continuam sendo atualizados diariamente a partir de informações da Secretaria Estadual de Saúde. Para consultar a situação em cada local, basta acessar o mapa do G1. A tabela abaixo traz os dados de casos suspeitos, confirmados, descartados e óbitos divulgados pelas prefeituras. Dados de coronavírus por prefeituras das principais cidades *Um paciente que morreu estava com Covid-19, porém a causa da morte foi por Acidente Vascular Cerebral (AVC). Casos O G1 acompanha, diariamente, o número de casos confirmados pelas prefeituras das principais cidades da região. Veja no gráfico abaixo a evolução dos números. Até esta quarta-feira, 38.978 casos foram confirmados, sendo 1.014 mortes. Veja mais notícias da região em G1 Vales de Minas Gerais.

Macrorregiões Triângulo do Norte, do Sul e Noroeste de MG são as únicas a permanecerem na Onda Verde em nova classificação do Minas Consciente


Anúncio é feito toda quarta-feira e possíveis alterações passam a valer a partir do sábado seguinte. Atualização das microrregiões é antecipada. Minas Consciente 2 de dezembro Imprensa MG As macrorregiões do Triângulo do Norte, Triângulo do Sul e Noroeste de Minas Gerais foram as únicas a permanecerem na Onda Verde do plano Minas Consciente para a próxima semana. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (2) pelo Comitê Extraordinário Covid-19, do governo do Estado. O Estado antecipou o anúncio das microrregiões, que normalmente ocorre na tarde de quinta-feira (veja abaixo). As classificações é válida por uma semana a partir do próximo sábado (5). Lembrando que Uberlândia e Uberaba saíram do Minas Consciente e, por isso, não seguem mais as determinações do Estado. Macrorregiões O Triângulo do Norte, Triângulo do Sul e Noroeste foram as únicas regiões mantidas na Onda Verde, que é a menos restritiva. As outras 11 macrorregiões foram classificadas nas ondas Amarela ou Vermelha. Segundo o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, a regressão de metade das macrorregiões em Minas Gerais ocorreu pelo aumento de casos na última semana. "Tivemos um aumento da incidência em todas as regiões, não tivemos aumento proporcional de óbitos, mas estamos vendo o aumento por demanda de internações. Ainda há bastante leitos de terapia intensiva no estado como um todo. Mas é importante reforçar a necessidade de cuidado, de distanciamento e atenção da população durante todo o mês de dezembro", afirmou o secretário. Microrregiões Normalmente divulgada na quinta-feira, o Estado antecipou o anúncio da classificação das microrregiões. Veja classificação das principais regiões. Araxá: vai permanecer na Onda Verde por mais uma semana; Frutal/Iturama/Uberaba: vai permanecer na Onda Verde, a mesma classificação da macrorregião do Triângulo do Sul; Ituiutaba: vai completar um mês na Onda Verde; João Pinheiro: vai permanecer na Onda Amarela pela segunda semana seguida, mas pode seguir a classificação da macrorregião Noroeste, que está na Verde; Paracatu: vai permanecer na Onda Verde pela segunda semana seguida; Patos de Minas: permanece na Onda Verde por mais uma semana; Patrocínio/Monte Carmelo: completará um mês na Onda Verde; São Gotardo: após ficar um mês na Onda Verde, regrediu para Onda Amarela, porém, pode seguir a orientação da macrorregião Noroeste; Uberlândia/Araguari: após semanas na Onda Amarela, a microrregião foi classificada na Onda Verde. Entenda a classificação das ondas A reformulação do "Minas Consciente" ocorreu no final de julho após consulta pública. A principal mudança foi em relação às ondas, que foram reduzidas para três. As cores funcionam como um semáforo: Onda Vermelha, quando é permitido abrir somente serviços essenciais; Amarela, quando serviços não essenciais também são autorizados; e Verde, que incluem serviços não essenciais com alto risco de contágio. Confira mais abaixo o que é permitido abrir em cada onda. O Comitê define em qual onda a cidade ficará levando em consideração a incidência da Covid-19 na localidade, na capacidade de atendimento e na velocidade de avanço da doença. Veja as cidades do Triângulo do Norte, Triângulo do Sul e Noroeste que estão no programa até o momento: Triângulo do Norte Abadia dos Dourados Araguari Cachoeira Dourada Canápolis Capinópolis Cascalho Rico Coromandel Douradoquara Estrela do Sul Grupiara Gurinhatã Indianópolis Ipiaçu Iraí de Minas Ituiutaba Monte Carmelo Nova Ponte Prata Romaria Santa Vitória Tupaciguara Triângulo do Sul Água Comprida Campo Florido Campos Altos Carneirinho Comendador Gomes Conceição das Alagoas Conquista Delta Fronteira Frutal Ibiá Itapagipe Iturama Limeira do Oeste Pedrinópolis Perdizes Pirajuba Planura Pratinha Sacramento Santa Juliana São Francisco de Sales Tapira União de Minas Veríssimo Noroeste Arapuá Arinos Bonfinópolis de Minas Brasilândia de Minas Buritis Cabeceira Grande Carmo do Paranaíba Guarda-Mor Guimarânia Lagamar Lagoa Formosa Lagoa Grande Matutina Paracatu Patos de Minas Presidente Olegário Rio Paranaíba Santa Rosa da Serra São Gonçalo do Abaeté São Gotardo Tiros Varjão de Minas Vazante Ondas Veja abaixo detalhadamente quais serviços podem funcionar em cada categoria, segundo o governo de Minas Gerais. Onda Vermelha Está autorizada a abertura dos seguintes serviços: Supermercados, padarias, restaurantes, lanchonetes, lojas de conveniência; Bares (somente para delivery ou retirada no balcão); Açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros; Serviços de ambulantes de alimentação; Farmácias, drogarias, lojas de cosméticos, lavanderias, pet shop; Bancos, casas lotéricas, cooperativas de crédito; Vigilância e segurança privada; Serviços de reparo e manutenção; Lojas de informática e aparelhos de comunicação; Hotéis, motéis, campings, alojamentos e pensões; Construção civil e obras de infraestrutura; Comércio de veículos, peças e acessórios automotores; e Cursos de saúde com atendimento direto à população. Onda Amarela Nesta fase, são contemplados serviços não essenciais. São permitidos: Bares (consumo no local); Autoescola e cursos de pilotagem; Salão de beleza e atividades de estética; Comércio de eletrodomésticos e equipamentos de áudio e vídeo; Papelaria, lojas de livros, discos e revistas; Lojas de roupas, bijuterias, joias, calçados, e artigos de viagem; Comércio de itens de cama, mesa e banho; Lojas de móveis e lustres; Imobiliárias; Lojas de departamento e duty free; Lojas de brinquedos; Academias (com restrições); Agência de viagem; e Atividades culturais e parques estaduais. Onda Verde Permite a abertura de serviços não essenciais com alto risco de contágio. São eles: Atividades artísticas, como produção teatral, musical e de dança e circo Cinemas, bibliotecas, museus, arquivos Parques, zoológicos e jardins Feiras, congressos, exposições, filmagens de festas, casas de festas, bufê Parques de diversão, discotecas, boliches, sinuca Bares com entretenimento (shows e espetáculos) Serviços de colocação de piercings e tatuagens Para avançar para a onda verde, as cidades precisam estar há 28 dias consecutivos na Onda Amarela, sem sofrer retrocessos durante esse período.

Prefeitura de Divinópolis inicia entrega de relatórios de transição para equipe do prefeito eleito


Documentos foram entregues à equipe indicada pelo prefeito eleito Gleidson Azevedo (PSC), que assumirá em janeiro de 2021. Prefeitura de Divinópolis Anna Lúcia Silva/G1 A Prefeitura de Divinópolis iniciou, na tarde desta quarta-feira (2), a entrega dos primeiros relatórios de gestão do município à equipe indicada pelo candidato eleito Gleidson Azevedo (PSC). Segundo o Executivo, foram finalizados os relatórios das secretarias de Educação, Meio Ambiente, Mobilidade Urbana, além da Gerência de Compras da Secretaria de Saúde. Prefeito eleito em Divinópolis monta equipe de transição para assumir Executivo em 2021 Os demais relatórios e outras informações sobre a transição deverão ser entregues à comissão do prefeito eleito até a próxima segunda-feira (7). Ao final do processo, todos os relatórios serão publicados no portal oficial da Prefeitura. Entrega dos documentos Os documentos foram entregues pelo coordenador da equipe de transição nomeado pelo atual governo municipal, Rodrigo Moura Rodrigues, ao coordenador da equipe de transição do prefeito eleito, Fernando Henrique Costa de Oliveira. A Prefeitura publicou no dia 27 de novembro um decreto com as normas para transição de governo em Divinópolis. Desde a publicação do documento que regulamenta os trabalhos da Comissão Conjunta de Transição, a equipe nomeada pelo prefeito eleito está se reunindo para inteirar das ações governamentais e dar continuidade ao governo municipal.

Bombeiros de Patos de Minas ficam com linhas telefônicas congestionadas por pedido de informação sobre curso


Curso oficial de 'bombeiro mirim' da corporação está suspenso, por conta da pandemia da Covid-19; militares apelam para que o 193 seja chamado apenas para situações de emergência. Corpo de Bombeiros Rede Amazônica/Reprodução O telefone do Corpo de Bombeiros em Patos de Minas está com as linhas congestionadas, por conta de uma confusão registrada na cidade em relação a um curso de bombeiro mirim. Nas redes sociais está sendo repassada a informação sobre o curso, porém ele não tem ligação alguma com o Corpo de Bombeiros. O curso oficial, aliás, está suspenso por conta da pandemia da Covid-19. Os bombeiros solicitam que não sejam realizadas ligações para o 193, caso não seja uma emergência. Dúvida, podem ser esclarecer através das redes sociais do Corpo de Bombeiros de Patos de Minas.

Covid-19: Juiz de Fora tem mais de 330 pessoas internadas com a doença


De acordo com a Prefeitura, 119 pacientes estão em UTIs com a doença e 215 em enfermarias em hospitais públicos e privados. Município tem 333 vítimas fatais e 9.451 casos do novo coronavírus desde o início da pandemia. Veja outras informações. Equipamentos instalados em leito de UTI Covid-19 Reprodução/EPTV O município de Juiz de Fora bateu um novo recorde de hospitalizações por Covid-19 nesta quarta-feira (2). De acordo com o Painel Gerencial da Prefeitura, 334 pessoas estão internadas em hospitais públicos e particulares da cidade em decorrência da doença. Deste total, 119 pacientes ocupam leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 215 estão em enfermarias. Nesta terça-feira (1°), o G1 mostrou que Juiz de Fora tinha 332 pessoas em unidades de saúde, até então, era o maior número registrado desde o início da pandemia. Já a taxa de ocupação de pacientes em UTI nos hospitais particulares na cidade, baixou para 96,19%. Nesta terça, era de 98%. Ao todo, existem 105 leitos pagos no município, sendo que 101 estão com pacientes no momento. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, 48 pessoas estão com a Covid-19 e 53 sem a doença. Na rede pública, a taxa de ocupação subiu para 80,71%. Na última atualização, era de 77,15%. Conforme a pasta, 71 pacientes estão internados com a Covid-19 e 88 com outras doenças. Os hospitais conveniados ao Sistema Único de Saúde (SUS) contam com 197 leitos, sendo que 159 estão ocupados. *Os números de leitos de UTI podem sofrer atualização mais de uma vez a cada 24 horas. Até a publicação desta reportagem, a atualização tinha ocorrido às 16h51 desta quarta-feira. Casos confirmados e mortes A Administração também informou nesta quarta, 22 novos casos positivos para a Covid-19 nas últimas 24 horas. Agora, o município tem 9.451 notificações confirmadas. Além disso, o Executivo divulgou que Juiz de Fora continua com 333 mortes pela doença. Recuperados Em julho, a Prefeitura de Juiz de Fora divulgou pela primeira vez o número de curados da Covid-19 na cidade desde o início do boletim municipal: são 8.841pessoas recuperadas. A informação é atualizada todas as terças-feiras. Comparação em 24h Mortes: a cidade tem 333 mortes causadas pela doença e nenhuma em investigação; não houve alteração em relação à terça-feira; Casos confirmados: o município tem 9.451 casos positivos da doença; 22 a mais em relação ao último informativo diário; Casos em investigação: foram notificados 615 suspeitos nas últimas 24 horas. Juiz de Fora tem, ao todo, 32.657 casos em investigação desde o início da pandemia; Casos descartados: a Prefeitura de Juiz de Fora não informou o número de casos que foram descartados desde o início da pandemia. Pandemia em gráficos Initial plugin text

Prefeitura de Araguari vai multar quem não utilizar máscara de proteção facial


Penalidade será aplicada a quem não proteger o nariz e a boca com o acessório em espaços públicos e privados acessíveis ao público; medida já está em vigor. Araguari estabelece multa para quem não usar máscara de proteção em espaços públicos e privados Carla Cleto/Sesau A Prefeitura de Araguari decretou nesta quarta-feira (2) multa de R$ 30,45 para pessoas que forem flagradas sem máscara de proteção facial sobre o nariz e a boca em espaços públicos e privados acessíveis ao público. A medida já está em vigor. Em caso de não pagamento da multa no prazo de 30 dias, a pessoa multada será inscrita na dívida ativa do município. Os valores recolhidos a partir da aplicação da multa deverão ser destinados obrigatoriamente ao Fundo Municipal de Saúde para utilização em ações e serviços diretos do setor. Ainda segundo o Município, a fiscalização será realizada pela Força Tarefa de Fiscalização, que poderá solicitar auxílio de força policial, se o infrator se recusar ou desobedecer a medida de utilização de máscara. Já os procedimentos ligados à autuação e aplicação da multa são de responsabilidade da Secretaria Municipal da Fazenda. O cidadão que comprovar situação de vulnerabilidade social estará isento do pagamento de multa.

Grupo empresarial deve pagar quase R$ 21 milhões por desvio de recursos da Cidade das Águas em Frutal


Empresa foi investigada pelo MPMG em 2016 quando empresários e políticos foram presos. Parte do acordo será destinada à UEMG e restante vai para o Estado; G1 procurou os envolvidos. Parcela de R$ 10,2 milhões será destinada ao custeio de projetos da Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG), de Frutal Ascom/Unesco-Hidroex Um grupo empresarial português firmou acordo para pagamento de R$ 20,9 milhões em medidas compensatórias apuradas pela Operação “Aequelis”, que investiga o desvio de recursos públicos destinados a Fundação Centro Internacional de Educação, Capacitação e Pesquisa Aplicada em Águas (Hidroex) para a construção do Complexo Cidade das Águas, em Frutal. O acordo foi firmado com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), Controladoria-Geral do Estado (CGE-MG) e a Advocacia-Geral do Estado (AGE). A informação foi divulgada pelo MPMG na última segunda-feira (10). Os valores já foram depositados. O nome do grupo empresarial não foi divulgado na publicação do órgão, que reforçou que não fornece contatos de partes em procedimentos. Na época da operação, desencadeada em 2016, empresários e políticos foram conduzidos pela polícia durante cumprimento de mandados de prisão em cidades no interior de Minas Gerais e São Paulo. Foram encontrados indícios de superfaturamento em vários contratos (relembre mais abaixo). Segundo o MPMG, R$ 4,7 milhões são referentes ao ressarcimento do dano causado ao Estado. Outros R$ 10,2 milhões se referem a danos morais coletivos. No acordo, constam, ainda, R$ 4,7 milhões como pagamento de multa civil, e R$ 1,2 milhão de transferência não onerosa. “Sem abrir a mão da punição àqueles que cometeram os ilícitos, a solução leva benefícios imediatos aos que foram prejudicados pelos crimes. Esse é um ponto em que insistimos desde o início e que continuaremos a reforçar”, disse o procurador-geral de Justiça de Minas Gerais, Antônio Sérgio Tonet. Destinação Uma parcela de R$ 10,2 milhões será destinada ao custeio de projetos da Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG), de Frutal. Já o restante será destinado aos cofres do Estado. Conforme o Ministério Público, o acordo firmado se refere a uma das ações ajuizadas por improbidade administrativa, e interfere em outras ações penais em curso na Justiça Federal. Réus que ainda não firmaram acordo continuam respondendo o processo. A Fundação Hidroex foi extinta em 2016. Promotoria de Frutal O G1 entrou em contato com o MPMG para saber qual a quantia de dinheiro público desviada e se, além do impacto financeiro, houve impacto ambiental. Sobre isso, a Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público de Frutal informou, nesta quinta-feira (13), que o valor estimado de dinheiro público desviado segundo a apuração do Ministério Público foi de R$ 4.758.136,00. Sobre os danos gerados ao Estado – citados no acordo – a promotoria afirmou que não têm qualquer aspecto ambiental, sendo exclusivamente no âmbito da tutela do patrimônio público. Valores depositados Foi informado também que os valores do acordo foram depositados em conta judicial nos autos da ação, em trâmite pela 2ª Vara Cível da Comarca de Frutal e serão gastos nos termos de acordo com solicitação específica e autorização judicial. UEMG Ainda segundo a promotoria, em relação ao montante destinado à UEMG Frutal, relativos aos danos morais coletivos, foi designada pela 3ª Promotoria de Justiça de Frutal uma reunião na próxima segunda-feira (17) com a Diretoria da unidade e com a Comissão pró-UEMG Frutal. O encontro vai contar com representantes dos estudantes, dos professores, dos servidores e da sociedade civil frutalense para discutir as prioridades a serem atendidas e como ocorrerá a fiscalização por parte do MPMG, que encaminhará também para análise da CGE. Operação "Aequalis" A Operação "Aequalis" foi deflagrada em maio de 2016. No dia 20 de setembro do mesmo ano, o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, sancionou a lei que extinguiu a Fundação Hidroex, investigada pelo MPMG por suspeita de envolvimento e desvio de verbas públicas. A operação encontrou indícios de superfaturamento em vários contratos, dentre eles o de venda de equipamentos. O ex-secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais, entre 2012 e 2014, Nárcio Rodrigues (PSDB), e outras 14 pessoas foram acusadas de organização criminosa, fraude em licitação, obtenção de vantagem indevida, lavagem de dinheiro, peculato e obstrução. Cidade das Águas foi projeto para ser um centro internacional de pesquisa Ascom/Unesco-Hidroex A Hidroex desenvolvia em Frutal o Complexo Cidade das Águas, que começou a ser construído em 2012 e teria mais de 1 milhão de m². O local foi projetado para se tornar um centro internacional de pesquisa, com foco na conservação do patrimônio hidrológico da América Latina e das nações africanas de língua portuguesa. Com a extinção da Hidroex, a Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG) assumiu as responsabilidades e obrigações da fundação quanto aos programas, projetos, contratos e convênios celebrados. O mesmo ocorreu com os bens imóveis, que foram revertidos ao patrimônio do Estado, cabendo à Secretaria de Fazenda (SEF) proceder a destinação. Irregularidades na Hidroex Uma auditoria da Controladoria-Geral de Minas Gerais apontou, em abril de 2016, suposto dano aos cofres públicos devido a irregularidades na obra do Complexo Cidade das Águas durante o governo de Antonio Anastasia (PSDB). A auditoria da controladoria aponta que houve prejuízo de cerca de R$ 9,8 milhões aos cofres públicos.

Carlinhos Maia apresenta show de humor 'Mas, Carlos!' pela primeira vez no AP


Espetáculo será no dia 30 de setembro, no Teatro das Bacabeiras. Apresentação aposta na interação com o público para garantir risadas. Comediante Carlinhos Maia se apresentará pela primeira vez em Macapá no dia 2 de setembro Divulgação O alagoano Carlinhos Maia é um dos fenômenos das redes sociais, somando quase 10 milhões de seguidores no Instagram e Facebook. Conhecido pelos vídeos bem humorados, o artista estará no Amapá pela primeira vez no dia 30 de setembro, às 20h, no Teatro das Bacabeiras, no Centro de Macapá. O show havia sido marcado para o dia 2 de setembro, mas, por problemas de saúde da mãe dele, o artista anunciou o adiamento da apresentação através das próprias redes sociais. A organização do evento informou que os ingressos comprados anteriormente serão válidos para a nova data. A devolução do ingresso também está sendo feita. Maia se destacou na internet falando do seu dia a dia e assuntos cotidianos com irreverência, além de mostrar a convivência com os vizinhos na vila onde mora, na cidade de Penedo, em Alagoas. No show "Mas, Carlos!", que será apresentado na capital, o artista relata vários momentos de sua trajetória, até o sucesso com vídeos na web. Ele aposta na interação com o público para garantir risadas. Outro característica do show é que Maia conta, de forma bem humorada, um pouco sobre a vida de "digital influencer", que é uma espécie nova de celebridade. Marlon Santos, produtor do espetáculo, comenta que Maia é, atualmente, um dos maiores fenômenos das redes sociais e que o novo show dele é um dos mais procurados do país. "A motivação para trazer o Carlinhos [Maia] para Macapá é bem simples, ele está bombando nas redes sociais e todo mundo no país quer conhecer mais sobre ele, o que é justamente o que será apresentado no espetáculo", falou. Para garantir os ingressos antecipados, que custam de R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia). Serviço Espetáculo 'Mas, Carlos!' Data: 30 de setembro (domingo) Local: Teatro das Bacabeiras Hora: 20h Ingressos: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia) Informações: (96) 98138-0887 Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Michele Maycoth interpreta sucessos de Maria Gadú em noite romântica no AP


'Linda Rosa', 'João de Barro' e 'Shimbalaiê' fazem parte do repertório. Evento será realizado no dia 1º de setembro num espaço cultural na Zona Central de Macapá. Apresentação está marcada para o dia 1º de setembro, em um espaço cultural em Macapá Michele Maycoth/Arquivo Pessoal Interpretando sucessos de Maria Gadú, uma das relevações da MPB, a cantora amapaense Michele Maycoth prepara um show que promete embalar os apaixonados. A apresentação está marcada para o dia 1º de setembro, a partir das 20h, em um espaço cultural na Zona Central de Macapá. Com uma apresentação predominantemente acústica e intimista, a cantora espera estar mais próxima do público, principalmente para cantar junto com ela sucessos como "Linda Rosa", "João de Barro", "A História de Lilly Braun" e "Shimbalaiê". De acordo com a produção do show, Michele tocará durante mais de uma hora e também haverão participações especiais, entre elas, Alexandre Moraes, Erick Pureza e Nitai Silva. Os ingressos podem ser adquiridos em dois postos de vendas na Zona Central da capital e com a produção do show ao preço inicial de R$ 10. Sucessos como 'Linda Rosa', 'João de Barro' e 'Shimbalaiê' não vão ficar de fora do show Divulgação Serviço Michele Maycoth canta Maria Gadú Data: 1º de setembro (sábado) Hora: 20h Local: Quintal Walô 54 (Avenida José Antônio Siqueira, 1212, bairro Jesus de Nazaré) Ingressos: R$ 10 (1º lote) Postos de vendas: Norte Rock (Villa Nova Shopping); Quintal Walô 54 Informações e compra de ingressos: (96) 98142-0743 Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Exposição 'Minha Aldeia' reúne fotografias inspiradas no cotidiano amapaense


Mostra reúne 27 imagens do fotógrafo Floriano Lima. Vernissage acontece no dia 24 de agosto no Sesc Centro, em Macapá. Visitações seguem até 20 de setembro. Mostra 'Minha Aldeia' busca evidenciar as belezas escondidas na simplicidade da vida no Amapá Floriano Lima/Divulgação Com fotos de paisagens, cartões-postais e até mesmo de trabalhadores à beira do Rio Amazonas, o fotógrafo Floriano Lima reúne 27 imagens que retratam o cotidiano amapaense na exposição "Minha Aldeia". A mostra ficará aberta ao público de 27 de agosto a 20 de setembro, na unidade Centro do Serviço Social do Comércio (Sesc), em Macapá. O fotógrafo define não existir um tema específico na exposição, condição que deu a ele liberdade para retratar desde as fotos mais "clichês", até imagens comuns do dia a dia. "Sempre gostei de fotografar nossos cartões postais porque eles são muito bonitos e únicos. Então, por mais 'batidas' que pareçam, eles fazem parte da proposta da exposição", adiantou. Dormir na rede, trabalhar com embarcações ou até mesmo o céu no fim de tarde são inspirações para o fotógrafo, que diz buscar evidenciar as belezas escondidas na simplicidade. Todas as imagens foram feitas entre 2016 até este ano. Elas compõem fases da profissão de Floriano Lima, de 56 anos, que iniciou a fazer "clicks" aos 17. "Essas fotos são recentes e fazem parte da minha carreira profissional. Apesar de fotografar desde a adolescência, quando ganhei minha primeira câmera fotográfica, trabalho profissionalmente na área há cerca de 5 anos", contou. A vernissage da exposição acontece no dia 24 de agosto, às 19h público poderá prestigiar a mostra de segunda a sexta-feira, no horário das 9h às 11h e das 15 às 17h. Serviço Exposição fotográfica "Minha Aldeia" Data: vernissage 24 de agosto; visitações de 27 de agosto a 20 de setembro Hora: abertura 19h; visitações das 9h às 11h e das 15h às 17h Local: Sesc Centro Entrada: gratuita Fotógrafo reuniu 27 imagens para a mostra que acontece até o dia 20 de setembro Floriano Lima/Divulgação Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Peça teatral amapaense vai narrar acontecimentos 19 anos depois do último livro de Harry Potter


Espetáculo está marcado para os dias 16 e 17 de agosto, no Teatro das Bacabeiras. Adaptação amapaense vai regionalizar história original que é inglesa. Peça teatral 'Harry Potter e o Herdeiro Amaldiçoado' será nos dias 16 e 17 de agosto, em Macapá Google Inspirada na peça londrina que contou os acontecimentos 19 anos depois de "Harry Potter e as Relíquias da Morte", um grupo amapaense de teatro propõe uma adaptação do espetáculo que virou sucesso no Reino Unido e bateu recorde de bilheteria na Broadway. A apresentação acontece nos dias 16 e 17 de agosto, às 20h, no Teatro das Bacabeiras, no Centro de Macapá. Intitulado "Harry Potter e o Herdeiro Amaldiçoado: A Oitava História Dezenove Anos Depois", a peça do grupo "O Beco Teatral e o Projeto Literar Amapá" segue a estrutura do espetáculo londrino, com os protagonistas da saga mais velhos e focando a aventura nos filhos do feiticeiro. De acordo com um dos diretores da peça, Iury Laudrup, o trabalho foi regionalizado. "Nosso trabalho é adaptar, uma vez que a peça original tem mais de 5 horas de duração. Então, encurtamos a história e regionalizamos o roteiro para que nossa peça tenha sua própria identidade", ressaltou. O espetáculo amapaense conta com oito personagens no elenco principal e 12 pessoas na produção e terá uma hora e meia de duração. Os ingressos para o espetáculo podem ser adquiridos antecipadamente em três postos de vendas na Zona Central da capital, ao preço de R$ 15 + um quilo de alimento não perecível. História A montagem teatral continua a história de Harry Potter de onde o sétimo e último volume da saga de J.K. Rowling parou, com um enredo envolvendo um Harry adulto e o seu filho do meio, Alvo Severo. Ele também é pai de Tiago Sirius, o mais velho, e de Lília Luna, a caçula. Agora, Potter é um funcionário sobrecarregado de trabalho no Ministério da Magia, com três crianças em idade escolar. Ele "lida com um passado que se recusa a ficar no lugar ao qual pertence", diz um texto sobre a peça. Enquanto isso, Alvo, assim chamado em homenagem ao antigo diretor de Hogwarts e mentor de Harry, Alvo Dumbledore, se esforça para lidar com o peso do legado da família. Serviço "Harry Potter e o Herdeiro Amaldiçoado: A Oitava História Dezenove Anos Depois" Datas: 16 e 17 de agosto Local: Teatro das Bacabeiras (Rua Cândido Mendes, 1087 – Centro) Ingressos: R$15 + um quilo de alimento não perecível Postos de Venda: Livraria Acadêmica (Macapá Shopping - Piso L2); Amapanime Space (Avenida Vereador Orlando Pinto, Nº: 640F - Santa Rita); Parada do Cachorro Quente (Rua Odilardo Silva, Nº: 2289 - Centro) Informações: (96) 98128-4949 / (21) 96979-6812 Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Levantamento do G1 mostra variação de preço nas opções de transporte em Divinópolis; confira


Valores dos meios disponíveis na cidade variam de R$ 4,05 a R$ 15. Preço do transporte coletivo varia de acordo com forma de pagamento e para comunidades rurais TV Integração/Reprodução Quem mora em Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas, e precisa se locomover conta, atualmente, com três empresas de aplicativos, ônibus, taxis e mototaxis à disposição. Mas, destas, qual a mais barata? O G1 fez um levantamento com todos os tipos de transporte disponíveis na cidade. Com base em uma viagem de dois quilômetros, o usuário gasta entre R$ 4,05, caso opte por ir de ônibus, a R$ 15 caso faça o trajeto em um táxi ou em dos aplicativo disponíveis na cidade. Ônibus Segundo a Prefeitura, o meio de transporte mais utilizado no município é o transporte público, que tem cerca de 80 mil usuários por dia. O valor das passagens, no entanto, varia. Atualmente, o transporte público municipal custa R$ 4,05 para pagamento em dinheiro e R$ 3,60 para pagamento via cartão de vale-transporte. Segundo a Prefeitura, a frota é de 153 ônibus na cidade. Destes, 144 fazem viagens diárias e outros nove funcionam como veículos reservas. Para as comunidades rurais, o preço varia de acordo com a distância da comunidade ao centro da cidade. Veja na tabela os preços: Preços de ônibus para comunidades rurais em Divinópolis Táxis e Mototáxis Segundo a Associação dos Taxistas de Divinópolis, o número de motoristas não acompanha o tamanho da população. Atualmente, existem 90 taxistas no município espalhados em pontos estratégicos da cidade como no Centro, rodoviária e próximo à supermercados. A associação, no entanto, afirma que os pontos são insuficientes e bairros mais afastados também deveriam ter a presença dos veículos. Atualmente, uma corrida do Centro até o bairro Niterói, com cerca de dois quilômetros de distância, custa, em média, R$ 15 dependendo da bandeira. Valor médio do táxi em Divinópolis para corrida de 2 km é de R$ 15 Reprodução/TV Integração Deste valor, R$ 4,50 são impostos que devem ser repassados ao município – o valor é, também, o valor inicial registrado no taxímetro, segundo a associação. O serviço de mototáxi foi regulamentado em agosto do ano passado e atualmente, segundo a Prefeitura, cerca de 60 mototaxistas atuam nas quatro empresas regularizadas no município. O preço das corridas, no entanto, é calculado pelos próprios motoristas e não é tabelado. Usando como parâmetro a distância levantada com o táxi, três mototaxistas da cidade afirmaram valores distintos para a corrida: o primeiro disse ao G1 que cobraria R$ 5. O segundo, R$ 7 e o terceiro cobraria R$ 10 pela corrida. Segundo a Prefeitura, a diferença é considerada normal porque os gastos do mototaxista varia de acordo com o tipo de moto conduzida por ele e, diferentemente dos táxis, o serviço não possui um valor mínimo estipulado. Mototáxi também apresenta variação no preço Reprodução/Tv Integração Aplicativos A cidade conta, ainda, com três opções de transporte por aplicativo: Uber, Go Car e Uper 7. Para usar o serviço, o usuário deve instalar os respectivos aplicativos em seu smartphone. Segundo um dos proprietários do Go Car, Bruno Alvim, a tarifa do serviço é cerca de 25% menor do que a cobrada pelos táxis. Atualmente, a empresa conta com cerca de 20 veículos pela cidade. No trajeto entre o Centro e o Bairro Niterói, por exemplo, a corrida ficaria em R$ 7. A Uper 7, empresa fundada em 2009, afirmou contar com cerca de 30 veículos cadastrados na cidade. Destes, a tarifa básica dos taxistas é mantida e cobra-se entre R$ 2,17 e R$ 2,50 por quilômetro, dependendo do tipo de veículo solicitado. O valor estimado pelo aplicativo no trajeto escolhido pelo G1 apontou o mesmo preço do táxi. A Uber, por sua vez, informou, por meio da assessoria, que divulga somente dados estaduais. Segundo a empresa, em Minas Gerais atualmente existem 35 mil motoristas atuando pelo aplicativo. Um motorista que faz corridas pelo aplicativo da Uber em Divinópolis, e que pediu para não ser identificado, revelou ao G1 que existe um grupo de mensagens instantâneas com os motoristas da empresa na cidade e que, atualmente, existem cerca de 60 pessoas. No trajeto calculado pela reportagem, a corrida ficaria em R$ 6,75. Contudo, o motorista alerta que o preço varia conforme o horário e a demanda dos usuários. Com relação ao transporte particular, Divinópolis conta atualmente com cerca de 125 mil veículos - uma média de dois habitantes por veículo.

Show de humor em Macapá leva histórias de ribeirinhos da Amazônia para o teatro


Dupla Epaminondas Gustavo e Adilson Alcântara apresentam ‘Agora é que são Eles’, na sexta-feira (3), no Teatro das Bacabeiras. Lançamento de livros também marcam visita dos humoristas ao AP. Epaminondas Gustavo (com a bandeira) e Adilson Alcântara no show 'Agora é que são Eles’ Divulgação Histórias engraçadas de ribeirinhos que vivem no interior do Pará inspiraram o repertório de “Agora é que são Eles”, novo show de humor da dupla paraense Epaminondas Gustavo e Adilson Alcântara. A apresentação do espetáculo acontece na sexta-feira (3), no Teatro das Bacabeiras, em Macapá. Com o sotaque típico da região, o personagem Epaminondas Gustavo, interpretado pelo ator Cláudio Rendeiro, conta aventuras, reclamações, desavenças, conselhos e fatos de comunidades que vivem às margens de rios. A apresentação teatral é acompanhada por canções de Alcântara. Além de ator, Rendeiro é juiz do Tribunal de Justiça do Pará. Ele caracterizou o protagonista do show de humor como um morador de São Caetano de Odivelas, cidade natal do magistrado, com linguajar “caboco” e cheio de expressões. Alcântara é um artista paraense com 25 anos de carreira como cantor, compositor, humorista e produtor cultural. Ele é o responsável por equilibrar o humor com a paródia, que também faz parte da vida dos ribeirinhos, e conta as piadas com ritmo e acompanhado por um violão. A dupla fez uma apresentação em Macapá em maio, lotou o teatro e quer repetir a experiência na capital. Espetáculo leva histórias hilárias da região ribeirinha do Pará Divulgação Livros e palestra Um dia antes da apresentação no Teatro das Bacabeiras, os humoristas vão fazer o lançamento dos livros “Sátira de um Ribeirinho”, que traz crônicas e histórias no olhar de Cláudio Rendeiro, e “Lírica Ribeirinhas e Outras Margens”, com o lado poético do artista. O lançamento dos livros é gratuito acontece após uma palestra-show voltada para alunos do curso de direito, no auditório do Sebrae em Macapá. Serviços Palestra-show para estudantes de direito Data: 2 de agosto (quinta-feira) Hora: 19h Local: Auditório do Sebrae (Av. Ernestino Borges, 740 - Laguinho) Entrada: R$ 20 Lançamento dos livros Data: 2 de agosto (quinta-feira) Hora: 20h30 Local: Auditório do Sebrae Entrada: franca Show de humor 'Agora é que são Eles' Data: 3 de agosto (sexta-feira) Hora: 20h Local: Teatro das Bacabeiras Ingresso: R$ 30 Informações: (96) 98139-9346 Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Sem dinheiro, venezuelanos acampam às margens de rodovia na fronteira do Brasil: 'aqui pelo menos temos comida'


Cidade de Pacaraima, em Roraima, tem abrigo público, mas ele é só para índios venezuelanos. Sem ter para onde ir, famílias inteiras estão vivendo às margens da BR-174, que liga os dois países. Angélia Aguilera, 18, e o filho de 2 anos ao lado da barraca em que estão vivendo há cerca de 1 mês; 'Na rua é muito frio' Inaê Brandão/G1 RR Venezuelanos estão vivendo em acampamentos improvisados em Pacaraima, no Norte de Roraima, na fronteira do Brasil. Um deles fica às margens da BR-174, rodovia que liga o país a Venezuela, e tem pelo menos 30 famílias. Conforme a prefeitura, a cidade tem uma média de 1,5 mil imigrantes em situação de rua - o equivalente a 22% da população local, que é de cerca de 15 mil habitantes. O município possui um abrigo público, mas ele é exclusivo para imigrantes indígenas. Procurada, a Força Tarefa Logística Humanitária, criada pelo Governo Federal para lidar com a imigração, informou que está em implantação um novo abrigo para não-índios na fronteira. Chamado de BV8, ele terá capacidade para 500 pessoas. No acampamento às margens da rodovia, famílias inteiras estão morando em barracas de camping e estruturas improvisadas com lonas, madeiras e até papelões. As estruturas são cobertas por plástico para proteger da chuva, comum neste período do ano. Na madrugada, a temperatura chega aos 16º C. A jovem Angélia Aguilera, de 18 anos, está no Brasil há um mês. Ela, o marido e o filho Elieser, de um ano, vivem nas ruas de Pacaraima desde então. "Aqui na rua é muito frio. Nunca imaginei que ia passar por isso", lamentou Angélia. A família saiu de Maturin, a 785 Km de Pacaraima, e conta a mesma história que outros milhares de venezuelanos que buscam refúgio no Brasil. "Vim porque na Venezuela não tem trabalho, comida e remédio. Não tem nada", disse Angélia, acrescentando que no país a família se alimentava apenas de mandioca e sardinha. O esposo trabalhava em uma empresa multinacional, mas o salário - corroído pela inflação diária de 2,8% - perdeu o poder de compra. Por isso, ele largou o trabalho há dois meses e a família resolveu tentar a vida no Brasil, onde busca trabalho. "A vida aqui está um pouco difícil porque não conseguimos dinheiro. Meu marido vende café na rua e não dá para quase nada. Mas dá para comer, sobreviver. Pelo menos temos comida", disse. O objetivo da família é chegar até Manaus. Luiz Sereño, 20, colocou bandeiras do Brasil na barraca improvisada: 'é uma homenagem ao país que me acolheu' Inaê Brandão/G1 RR O jovem Luiz Sereño, de 20 anos, também se mudou para o Brasil fugindo da crise econômica e política da Venezuela. Na barraca improvisada onde mora, o jovem colocou duas bandeiras do Brasil e disse que elas são uma homenagem ao país que o acolheu. "A bandeira representa a união. O Brasil nos recebeu como irmãos e sou grato", afirmou. Em Pacaraima, Luiz trabalha lavando carros. O dinheiro que consegue manda para a filha de três anos que ficou na terra natal. "A Venezuela tem muitos recursos naturais, mas já estamos cansados de passar fome. Tenho uma filha e chorava quando via ela comendo só manga". Na rua, os imigrantes cozinham em latas de tintas e, muitas vezes, dependem de doações de moradores para se alimentar. Sem lugar para se higienizar, aqueles que não possuem entre R$ 1 e R$ 4 para pagar um estabelecimento comercial para usarem o banheiro ficam sem banho e precisam fazer as necessidades em uma região de mata, na outra margem da rodovia. Imigrantes fazem comida em fogões improvisados Inaê Brandão/G1 RR Crise migratória Nos primeiros seis meses deste ano, mais de 16 mil venezuelanos pediram refúgio em Roraima, segundo a Polícia Federal. O número já é 20% maior do que o registrado em todo o ano de 2017, quando foram recebidas pouco mais de 13,5 mil solicitações. Nos últimos 18 meses, 128 mil venezuelanos que entraram no Brasil pela fronteira de Pacaraima (RR), mas destes, 31,5 mil, voltaram para a Venezuela pelo mesmo caminho, e os outros 37,4 mil saíram do país de avião ou por outras fronteiras terrestres. O Exército Brasileiro calcula que a média de entrada de venezuelanos em Roraima nos últimos cinco meses foi de 416 pessoas ao dia. Ainda não há números precisos sobre a quantidade exata de venezuelanos vivendo em Roraima, mas um levantamento da prefeitura de Boa Vista apontou que, só na capital, há 25 mil moradores venezuelanos – o equivalente a 7,5% da população local, que é de 332 mil habitantes. Desses, pelos menos 65% estão desempregados. Atualmente o estado conta com dez abrigos públicos, totalizando cerca de 4,6 mil pessoas, seis deles abertos só neste ano. Mesmo assim, ainda há venezuelanos em situação de rua em 10 dos 15 municípios do estado. Além disso, 820 imigrantes já foram levados em voos da Força Aérea Brasileira (FAB) para São Paulo, Manaus, Cuiabá, Brasília, Rio de Janeiro, Igarassu (PE) e Conde (PB) no chamado processo de interiorização, que consiste em distribuir venezuelanos recém-chegados a Roraima para outros estados do país. Acampamento foi montado às margens da BR-174 Inaê Brandão/G1 RR Initial plugin text

Barracas de apoio aos romeiros começam a funcionar nesta sexta na BR-365 em Patos de Minas


Nos pontos de atendimento serão oferecidos alimentação, camas, escalda-pés, massagens e atendimento médico 24h até o dia 13 de agosto. Reprodução/TV Integração Os pontos de apoios aos romeiros começam a funcionar a partir desta sexta-feira (27) às margens da BR-365, km 439, após o trevo de Santa de Patos, em Patos de Minas. Serão oferecidos sanitários, camas, água e refeições durante 24h até o dia 13 de agosto. As Delegacias da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Patos de Minas e Uberlândia, realizarão a “Operação Romaria”, e a partir do dia 27 de julho haverá grupos dedicados à fiscalização de trânsito e do radar móvel na BR-365. Os romeiros terão direito a alimentação completa com café, leite, suco, pão e frutas, almoço, atendimento de saúde, além de escalda-pés, massagem e chuveiros. O Dia de Nossa Senhora da Abadia, padroeira do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, é celebrado no dia 15 de agosto e os fiéis católicos saem a pé até a cidade de Romaria como forma de agradecer ou cumprir alguma promessa.

Quilo do Pirarucu é vendido em Rondônia por R$ 9,36 no valor médio


Banana nanica, bezerro de corte e alface convencional também foram cotados. Valores se referem a preços pagos diretamente ao produtor. Veja quanto custa o preço do quilo do pirarucu em várias cidades Toni Mendes/ TG A Associação de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater-RO) realizou, entre os dias 16 a 20 de julho, a pesquisa de preços dos produtos agrícolas vendidos no estado. A cotação se refere ao valor pago diretamente ao produtor agrícola, nas unidades produtivas. Confira abaixo a lista de alguns itens: Peixe Pirarucu (quilo) Preço médio: R$ 9,36 Porto Velho: R$ 11,00 Guajará-Mirim: R$ 10,00 Ariquemes: cotação não informada Jaru: R$ 8,00 Rolim de Moura: R$ 7,40 Machadinho D'Oeste: R$ 10,00 Ouro Preto do Oeste: R$ 9,00 Ji-Paraná: R$ 11,00 Colorado do Oeste: R$ 8,50 São Miguel do Guaporé: cotação não informada Costa Marques: cotação não informada Cacoal: cotação não informada Vilhena: cotação não informada Pimenta Bueno: cotação não informada Banana Nanica/ Nanicão (quilo) Preço médio: R$ 1,88 Porto Velho: R$ 2,00 Guajará-Mirim: R$ 1,80 Ariquemes: R$ 2,00 Jaru: R$ 2,00 Rolim de Moura: R$ 1,30 Machadinho D'Oeste: R$ 2,00 Ouro Preto do Oeste: R$ 2,00 Ji-Paraná: R$ 2,00 Colorado do Oeste: R$ 2,00 São Miguel do Guaporé: 2,00 Costa Marques: 1,50 Cacoal: R$ Cotação não divulgada Vilhena: R$ Cotação não divulgada Pimenta Bueno: R$ 2,00 Bezerro de corte (cabeça) Preço médio: R$ 960,71 Porto Velho: R$ 950,00 Guajará-Mirim: R$ 900,00 Ariquemes: R$ 950,00 Jaru: R$ 1.000,00 Rolim de Moura: R$ 1.100 Machadinho D'Oeste: R$ 1.000,00 Ouro Preto do Oeste: R$ 1.000,00 Ji-Paraná: R$ 950,00 Colorado do Oeste: R$ 1.000,00 São Miguel do Guaporé: 720,00 Costa Marques: R$ 900,00 Cacoal: R$ 980,00 Vilhena: R$ 1.000,00 Pimenta Bueno: R$ 1.000,00 Alface convencional (maço) Preço médio: R$ 1,80 Porto Velho: R$ 1,50 Guajará-Mirim: R$ 2,00 Ariquemes: R$ 2,00 Jaru: R$ 1,50 Rolim de Moura: R$ 1,50 Machadinho D'Oeste: R$ 2,00 Ouro Preto do Oeste: R$ 2,00 Ji-Paraná: R$ 1,00 Colorado do Oeste: R$ 2,00 São Miguel do Guaporé: 2,00 Costa Marques: R$ 2,00 Cacoal: R$ 2,00 Vilhena: R$ 1,65 Pimenta Bueno: R$ 2,00

Desenvolvido por Maikonlyne